Voltar
Autoria
Emília O. Vieira
Emília O. Vieira

Publicamos aqui excertos da Carta Trimestral aos Clientes da Casa de Investimentos:

Não há bela sem senão

“Um otimista é visto como um vendedor. Um pessimista é visto como um sábio cauteloso que nos está a tentar ajudar”

O otimismo é a melhor aposta uma vez que o mundo, na maior parte do tempo, tende a ficar melhor para a maioria das pessoas. No entanto, o pessimismo tem um lugar especial nos nossos corações. O pessimismo não é apenas mais comum que o otimismo. Também soa mais inteligente. É intelectualmente cativante e as pesssoas prestam mais atenção ao pessimismo do que ao otimismo – frequentemente visto como um alheamento ao risco.

A história, pelo contrário, mostra-nos uma e outra vez que os otimistas triunfaram, como os retornos mundiais nos últimos 122 anos demonstram. Porque acham os investidores que desta vez será diferente? A incerteza e a volatilidade a que os investidores de ações têm sido sujeitos este ano é fora do comum em magnitude e frequência. O que muitos experienciaram nos últimos 7 meses é equivalente a um período de 10 ou 20 anos.

David Swensen, gestor há 35 anos do Fundo Endowment da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, diz que os investidores de taxa fixa devem esperar, e merecem, rendimentos muito baixos. Estar hoje em liquidez, em depósitos, em obrigações e outros títulos de dívida, embora seja uma estratégia menos volátil, não está isenta de risco nem de custos de oportunidade. Os investidores que estejam dispostos a aceitar a volatilidade das ações, e que não precisam de estar certos todos os dias quanto à direção que os mercados financeiros tomam, serão recompensados com retornos mais elevados.

A volatilidade é o preço a pagar por melhores retornos a prazo. Não há bela sem senão. 

O trimestre em revista

  • A economia global iniciou o processo de recuperação, depois do segundo trimestre ter marcado o “fundo” desta crise devido aos efeitos das medidas de confinamento adotadas. Em muitos setores registaram-se melhorias significativas da atividade. No entanto, as atividades nas áreas de transportes, turismo, entretenimento e energia estão ainda bastante condicionadas.
  • O mercado de ações tem protagonizado uma recuperação mais rápida do que a economia, explicada por três ordens de fatores
    • os investidores já estão a olhar para o longo prazo após a pandemia,
    • a composição setorial do mercado de ações diverge substancialmente da economia (tecnologia, media e telecomunicações pesam 8% no PIB americano equanto que no mercado acionista pesam cerca de 35%) e
    • as pequenas empresas não cotadas absorveram grande parte do impacto da crise atual.
  • Bom desempenho no trimestre das ações asiáticas, impulsionadas pela contenção do vírus na China que permitiu uma recuperação mais rápida dessa economia.
  • As ações de tecnologia tiveram um desempenho muito forte até setembro, altura em que se registou alguma rotação para outras áreas do mercado.
  • Os testes de vacinas continuaram a avançar, apesar de interrupções temporárias, criando a esperança de desenvolvimentos nos próximos meses que marquem uma viragem no combate à pandemia e retoma da normalidade.
  • A Reserva Federal dos EUA anunciou uma alteração nos seus princípios de política monetária, passando a admitir que temporariamente a inflação possa registar valores acima do objetivo definido, que compensem períodos de inflação mais baixa como o atual. A principal implicação daí resultante é a manutenção das taxas de juro próximas do zero por um período mais longo.
  • O Reino Unido e a União Europeia continuaram a não progredir nas negociações para o acordo comercial pós-Brexit, o que continua a pesar na moeda e mercados acionistas britânicos.

Eleições Americanas

Dentro de duas semanas teremos as eleições presidenciais nos Estados Unidos. Irremediavelmente os investidores tentam agora prever quem será o próximo presidente dos Estados Unidos e como reagirão os mercados acionistas mundiais. O gráfico abaixo mostra que, para os que realmente são investidores não vale apena o esforço de tentar adivinhar. Para os especuladores, … boa sorte, vão precisar.

Conforme o gráfico documenta, em quase 100 anos, triunfaram os otimistas. Na maior parte do tempo, os mercados financeiros sobem independentemente de o presidente ser republicano ou democrata. Para os investidores com horizonte de investimento adequado, estar investido nalgumas das melhores marcas mundiais - com negócios de grande qualidade, equipas de gestão capazes e compradas a preços sensatos - pagará largamente o desconforto da incerteza e da volatilidade, com que teremos sempre que lidar. Se controlarmos as nossas emoções e evitarmos grandes erros, não precisamos de estar certos todos os dias para ainda assim conseguir bons resultados.