Voltar
Autoria
Bob Seawright
Bob Seawright

Artigo publicado originalmente no blog The Better Letter.

O Poder do Juro Composto

Eis o meu mais importante conselho sobre investimentos. Dei-o aos meus filhos e netos: Comecem a poupar e a investir o mais cedo possível. 

Einstein pode nunca o ter dito (como se alega), mas o juro composto é uma maravilha do mundo. E qualquer pessoa pode tirar dele partido — é absolutamente igualitário. Se não fizer mais nada pela sua reforma, comece, pelo menos, a poupar e a investir cedo. Devemos também poupar muito (cerca de 15 por cento faz sentido) e mantermo-nos livres de dívidas, mas vou limitar-me a um único conselho.

Eis tudo o que precisamos para tirar proveito deste sábio ensinamento:

1. Inteligência para saber o que estamos a fazer e porquê;

2. A paciência e o compromisso para mantermos o rumo; e

3. Tempo

É só isto.

Quer provas?  

Imaginemos que a Ginny subscreveu um PPR aos 19 anos com 1000 dólares e, durante sete anos consecutivos, fez reforços de 200 dólares por mês e conseguiu um retorno anual médio de 10% (já sei que parece elevado para os mercados de hoje, mas vamos assumir este pressuposto para efeitos ilustrativos). Vamos supor também que, depois desses sete anos, a Ginny não põe nem mais um tostão nesse PPR.

Vamos agora imaginar que o Bob não é tão esperto como a Ginny  e que só subscreve o seu PPR, também com 1000 dólares, aos 26 anos (a idade com que a Ginny parou de fazer reforços). No entanto, daí em diante, o Bob reforça com 200 dólares todos os meses até aos 65 anos e consegue o mesmo retorno médio de 10% ao ano ao longo desse período.

Uma vez feitas as contas, os resultados parecem impossíveis.

A Ginny, que fez contribuições durante sete anos (17.800 dólares no total), mas começou mais cedo, acaba com mais dinheiro aos 65 anos do que o Bob, que fez entregas durante 40 anos (97.000 dólares no total), mas começou mais tarde. O Bob acabou com 1.318.518 dólares, que é uma soma respeitável para quem fez contribuições totais de apenas 97.000 dólares. Mas a Ginny acabou com 1.406.849 dólares, apesar de ter feito muito menos entregas com um valor total muito inferior. 

A chave, claro, é que a Ginny começou a compor juros sete anos mais cedo do que o Bob. 

Aqueles sete anos de avanço valeram mais do que todos os 33 anos adicionais de contribuições do Bob. Devido ao tempo, à paciência, e à magia do juro composto, os 17.800 dólares da Ginny transformaram-se em mais de 1,4 milhões.

Se não seguir mais nenhum dos meus conselhos sobre poupança e investimento, por favor comece cedo. E seja qual for a sua idade, comece a poupar ou poupe mais, imediatamente. Por favor. O tempo é crucial.

Ao longo de períodos alargados de tempo, até uma pequena mudança nos nossos hábitos pode fazer uma diferença significativa.

Há uma abundância de artigos que sugerem algo do género de ser possível reformarmo-nos se deixarmos de ir ao Starbucks (a ideia teve origem aqui). Esta ideia está, obviamente, incompleta, mas é notável como consegue ilustrar o poder do juro composto. 

Vamos imaginar que íamos ao Starbucks todos os dias úteis e comprávamos um latte por 5 dólares. Decidimos parar de o fazer e investir esse dinheiro. No primeiro mês, juntámos 100 dólares (20 dias úteis de lattes a 5 dólares) e continuamos a investir 25 dólares por semana (um latte por cada dia útil) durante 30 anos. Assumindo 10% de retorno anual sobre o dinheiro investido, no final desses 30 anos, teremos 250.000,00 dólares (mais exatamente, 249.364,00 dólares). 

Esse montante de 250.000,00 dólares é antes de impostos, obviamente, e – devido à inflação – não é provável que daqui a 30 anos pareça, nem de perto, o mesmo dinheiro. Este cenário pressupõe também a não existência de quaisquer circunstâncias pessoais que exijam o uso do dinheiro (na realidade, imaginamos emergências com muito maior frequência do que elas realmente acontecem – “necessidade” é uma palavra muito forte). Mas 250.000,00 dólares, ou até metade, ainda é significativo e serve para recordarmos que a nossa taxa de poupança, quando as poupanças são bem investidas, é muito mais importante para o nosso futuro financeiro do que a taxa de retorno que conseguimos nessas poupanças.

Tal como Tolstoy escreveu e a nossa experiência confirma, “os dois guerreiros mais poderosos são a paciência e o tempo.”

Estes guerreiros funcionam noutros contextos e de forma muito mais ampla. Como escrevi antes, tal como o juro composto, o sucesso é sequencial. É preciso tempo para que as boas escolhas acumulem até que expludam exponencialmente. Todas as melhores coisas nas nossas vidas oferecem benefícios que proporcionam um retorno composto. Os nossos investimentos financeiros fazem isso, assim como os nossos investimentos pessoais e familiares. A generosidade e o serviço aos outros também. E uma vida saudável e a educação e o conhecimento também. 

O amor é o mais poderoso acumulador de retorno composto de todos.

Concentremos aí os propósitos da sua vida. Nós não controlamos completamente os nossos destinos ou os nossos legados. Mas se investirmos bem — financeiramente e não só — os nossos legados podem ser profundos. 

Tal como os nossos investimentos precisam de ser avaliados em função de um benchmark, também as nossas vidas precisam. Não importa o que digamos, mostramos o que amamos pela forma como investimos o nosso tempo, os nossos talentos, e o nosso tesouro. Revelamos as nossas motivações com o nosso amor. Os nossos objetivos funcionam como benchmarks para o retorno composto das escolhas da nossa vida.

Que tal nos estamos a sair?

 


Esclareça as suas questões comerciais com um representante da Casa de Investimentos.

Serviço disponível nos dias úteis das 8h às 18h.