Voltar

As pessoas gastam uma quantidade inacreditável de energia mental a tentar adivinhar o que o mercado vai fazer e a tentar escolher a melhor altura para comprar. Não vale a pena”.

Peter Lynch foi um dos melhores gestores de fundos da história. O fundo que geriu entre 1977 e 1990 chamava-se Fidelity Magellan Fund. Lynch conseguiu, nesses 13 anos, retornos anualizados de 29,1%! $1.000 investidos em 1977 tornaram-se, em 1990, $28.000. Apesar destes resultados excelentes, a Fidelity concluiu que o investidor médio perdeu dinheiro neste período de 13 anos. Como foi isto possível? Segundo a Fidelity, os investidores vendiam as suas posições após períodos de fraca performance e compravam após períodos de subida. Ao tentar evitar as quedas, os investidores falharam as subidas.

Em entrevista à PBS, Peter Lynch explica, “As pessoas gastam imenso tempo a tentar adivinhar, em que altura do ano devem investir; quando devem investir? E isto é um enorme desperdício de tempo. Levei a cabo um estudo fantástico, um exercício espantoso:

Nos 30 anos entre 1965 e 1995, se tivesse investido $1.000 – e teve imensa sorte, investiu sempre no mínimo do ano, escolheu o dia em que o mercado registou o valor mais baixo do ano, o seu retorno teria sido de 11,7% por ano.

Pelo contrário, um investidor “azarado” investiu sempre no pior dia do ano, isto é, investiu os seus $1.000 no dia em que o mercado atingiu o máximo do ano. Todos os anos, 30 anos seguidos, investiu sempre no máximo. O retorno que ele conseguiu foi 10,6% por ano. Essa é a diferença entre o máximo e o mínimo do ano.

Um outro investidor escolheu investir sempre no primeiro dia do ano e conseguiu um retorno anual de 11%.

As pessoas gastam uma quantidade inacreditável de energia mental a tentar adivinhar o que o mercado vai fazer e a tentar escolher a melhor altura para comprar. Não vale a pena”.